InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Misaki Hasegawa
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1363
Idade : 26
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : DeathBar maid ^___^
Data de inscrição : 23/12/2010

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qua Maio 04, 2011 7:47 am

Eu vi isto num outro forum e achei que tambem seria intressante para os nossos membros verem isto.
Eu nao pretendo insultar ninguem com isto ou dizer que o pessoal deste forum escreve mal, bem pelo contrário, só coloco aqui isto para incentivar os nossos membros a escreverem cada vez mais e a aprefeiçoarem a sua escrita.
Bem vamos a isto depois se quiserem podem me ralhar por vos estar a chatear e se se sentirem ofendidos podem me dar o puxao de orelha e se acharem que eu fui uma intrometida esfolem me a vontade XD
Façam os seus próprios julgamentos ok?XD

aqui está:

"Linguagem de internet: muita gente usa e gosta mas em noventa por cento ou mais dos casos (fizemos uma enquete num fórum de ficwriters), o uso desse tipo de linguagem faz com que o leitor não siga adiante na fanfic. Texto escrito é texto escrito, linguagem de chat é outra história. A menos que você esteja reproduzindo na fanfic uma conversa do msn e mesmo assim... Eu não uso e, pior, não leio fanfic com internetês, sinto muito mas é broxante para mim ficar adivinhando algumas abreviações.

Sem resumo algum: se o autor é incapaz de dizer sobre o que trata a fanfic, como vai ser capaz de contar uma história coerente? Vício de jornalista: LEAD (manchete, chamada) Se uma pessoa gastou horas fazendo uma fanfic, não é possível que ao menos não consiga dizer algumas palavras sobre seu texto. Pior são aquelas assim: ah, sou péssimo escrevendo... O_O Não sei escrever resumo O_O Desculpem-me a franqueza mas se já estudou português alguma vez na vida ao menos ouviu falar de tópico frasal. Que se coloque um tópico frasal do primeiro parágrafo, mas é bom indicar do que se pretende falar.

Classificação: não é um dado indispensável mas atrai mais leitores que afasta. Tem gente que lê apenas comédia, outros preferem angst, outros adoram AU (alternative universe). Colocar do que se trata ajuda. Melhor ainda, faça a indicação da fanfic com clareza: se é romance, AU, PWP, OOC, drama, fantasia, lemon, yaoi, yuri, hentai. Ajuda a destacar o seu tema principal e avisa aos leitores sobre o que poderão encontrar.

Linguagem de roteiro: como dito acima, pela Pandora Lynn, muitos gostam. Eu não uso. Pode até ficar mais claro para a leitura mas isso você pode fazer com uma boa construção narrativa. Conheço muita gente que foge de fanfics assim. Eu só leio fanfic assim da Pandora Lynn, pois conheço o jeitão dela. Não gosto e não uso mas quem quiser, utilize à vontade. É impecilho para muitos leitores pois fica algo cansativo demais numa fanfic longa.

Língua portuguesa: mais básico que isso, impossível. Não é para ser um dicionarista mas ao menos o corretor do word poderia ser usado não? Concordância verbal disparatada é brochante. Linguagem de telemarketing eu saio correndo: Saga vai estar providenciando... *morre* Parágrafos com 40 linhas... Gente, existe parágrafo para encadear idéias e não para escrever tudo de uma vez. Uma frase com até 70 palavras também é algo razoável. Iniciar o período com um tempo verbal e uma pessoa narrativa e ir misturando ao longo do texto também é cruel... Você não sabe mais quem está falando, se é narração em primeira ou segunda ou terceira pessoa, se é fato presente ou passado ou futuro. Clareza nas idéias é algo que ajuda bastante. Existem boas betareaders por aí, é só procurar. Revisar o texto, na minha insuportável opinião é um dever do autor.

Expressões estrangeiras: a menos que saiba exatamente o que está escrevendo, é melhor não inventar. Principalmente no fandom de Saint Seiya, citações em francês do Camus, em japonês, em russo para Hyoga, em italiano para MDM, necessitam um prévio conhecimento ou você corre o risco de um leitor que conhece a língua achar o seu texto meio louco. Parece detalhezinho sem importância mas valoriza ou desvaloriza uma fanfic.

OOC: out of character (fora da caracterização) Se não for fanfic original e você resolver que o MDM é doce e meigo e ama apascentar ovelhas, pelo amor de todos os leitores, coloque o aviso de que é uma fanfic OOC. Se você gosta de CDZ, tem seus motivos, talvez um deles seja a personalidade de cada personagem. Ler fanfics em que os personagens não tem nada que ver com a caracterização do autor é de lascar, para mim pelo menos. Odeio ver Milo retratado como um idiota beberrão que vive babando nas mulheres ou nos homens, dependendo do gênero. Mu de pobre coitado indefeso é outra caracterização que, principalmente após Hades Santuário, é difícil de engolir.

Palavreado chulo: Avise no resumo ou no disclaimer que é fã de palavreado de baixo calão. Fanfic inteira escrita com linguagem chula não é minha praia e não leio nem o primeiro parágrafo mas tem muita gente que adora. É diferente de usar para enfatizar a personalidade de um personagem ou em uma briga.

Pesquisa de assunto: esse tema é complicado. Se vai escrever que o Camus é especialista em bombas nucleares, melhor fazer pequenas pesquisas para não escrever maluquices. Não é porque fanfiction é ficção que não precisa sequer guardar alguma consonância com a realidade.

Plágio: se for utilizar algum texto ou idéia de outro autor, convém deixar claro. É ético, educado e não desmerece de jeito algum. Apenas comprova que você leu bastante e teve idéias lendo a obra de outra pessoa.

Contexto: ajuda se o autor explicar pelo menos um tanto se a fanfic está seguindo ou não alguma linha cronológica do anime ou mangá (pós-hades, pós-santuário, poseidon, asgard). Dar descrições dos locais, da situação emocional de um personagem também acho interessante. Colocar crossover (com outros animes/mangás) é algo que reputo muito perigoso mas tem gente que faz bem. Já li uma fanfic crossover de CDZ com Yuyu que ficou interessante.

Temas perigosos: acho que tratar de pedofilia, necrofilia, zoofilia, estupro, religião, política ou qualquer tema mais espinhoso em uma fanfic não é tarefa fácil. Colocar avisos ajuda. Se alguém não sabe, eis uma pequena tabela de significados:

pedofilia: sexo com menores de idade (no caso do Brasil, menores de 14 anos) e, ainda, se o parceiro for maior de idade ou muito mais velho. Há um gênero chamado shota em que os personagens têm idades tenras (9, 10 anos) e se relacionam amorosamente ou tomam parte em enredos complexos. Eu não gosto e quem lê minhas fics sabe que escrevo com os personagens tendo no mínimo 17 anos, mesmo porque é mais tranqüilo para expor situações mais pesadas.

necrofilia: sexo com cadáveres - nunca vi em fanfic nem quero... (posso estar sendo preconceituosa mas não curto e pronto)

zoofilia: sexo com animais - também nunca vi

estupro: sexo não consentido entre homem e mulher. Se for um homem com outro é atentado violento ao pudor segundo a legislação penal. Sexo anal e oral à força também se enquadram em atentado violento ao pudor.

lemon: relação homossexual masculina (sexo entre homens)

hentai: relação heterossexual (sexo entre homem e mulher)

yuri: amor entre mulheres (relação afetiva entre mulheres)

yaoi: amor entre homens (relação afetiva entre homens), relacionamento amoroso entre homens.

darklemon: sexo forçado, sem o consentimento do uke, atentado violento ao pudor, violência.

bondage: um dos parceiros é amarrado, impossibilitado de se mover, dominado.

SM: sado masoquismo

lime: insinuação de relação sexual

A.U: Universo alternativo, a história se passa em um mundo diferente do da origem dos personagens.

Crossover: mistura de personagens de universos diferentes e sem ligação em uma história.

angst: angústia, um tanto de sofrimento.

seme: o ativo (yaoi)

uke: o passivo (yaoi)

Darkfic - fanfiction abundante em cenas depressivas, atmosferas sombrias e situações angustiantes. É o contrário das fanfics definidas pelo termo "waffy".

Deathfic - personagens principais morrem.

Slash - fanfiction cujo tema principal concentra-se na relação (amorosa, de amizade etc) entre dois personagens centrais. "Slash" é a palavra em inglês para "barra". Ex: Aragorn/Boromir, Spock/Kirk, Mulder/Scully. A grande maioria atualmente interpreta o termo como sinalização de relacionamentos homossexuais. O que diferencia este tipo de fanfiction das outras é que não são personagens de animes, mas de filmes, livros, conjuntos musicais, WWE e outros tantos. Também chamado de RPS = Real Person Slash = Relacionamentos homossexuais de pessoas reais, ou seja, pessoas em carne e osso (XD)

Fanon - indica a presença de idéias já propagadas em outras fanfics e que se tornaram tão populares quanto a obra original. No caso de Saint Seiya, um dos principais casos de Fanon é dar o nome de Carlo de Angelis para o personagem MDM, o nome foi usado pela primeira vez pela ficwriter Pipe.

Lemon - fanfic com cenas de sexo detalhadas, descritivas e geralmente com a idéia de transmitir ao leitor o ato sexual como se o estivesse vendo, daí dizer-se que se trata de sexo gráfico.

Citrus - fanfic de romance adulto, pode ou não conter cenas de sexo. Há um outro nome que se usa, lime, querendo dizer situações sexuais mas não necessariamente com a descrição do ato em si, pode haver insinuações de sexo e pode-se deixar subentendido que os personagens fizeram sexo mas não se descrevem as ações.

Temos outros tipos fáceis de identificar:

Comédia

Songfic: a fanfiction é criada a partir da letra de uma música. Pode-se colocar a música em partes, intercalando-se com os diálogos. Nem toda fanfiction com música é songfic embora alguns autores considerem que sim. Geralmente, e é o que faço, uso uma música para transmitir ao leitor os sentimentos dos personagens e uma trilha sonora para que se leia a fanfiction. Não necessariamente a letra da música será parte da trama mas no caso das songfics, a relação entre a música e a história é mais íntima.

Fluffy: fanfictions açucaradas ao extremo, daquelas que dá dor de dente e problemas diabéticos. Diálogos meigos, doces, situações “fofinhas” e muito romantismo. Nem de longe é meu tipo de fanfic mas aprecio quem sabe fazer... Eu não consigo escrever desse jeito mas são fanfics geralmente leves, cheias de cenas com olhares apaixonados e beijinhos. Lindinho...

Angst: Bem, esse tipo de fanfic não é exatamente para qualquer público. São sérias, algo depressivas, mostram os personagens imersos em culpa, ansiedade, dor emocional, remorso e não raro com temas pesados como suicídio, drogas, violência sexual e ou psicológica. Há também que se classificar como angst as histórias em que há muita descrição de traumas.

Dark: Fanfictions de temas muito obscuros, misteriosos. Geralmente indicada para adultos pelo conteúdo profundo. Não necessariamente um drama total, mas geralmente não é leitura fácil e é difícil encontrar autores que o façam sem cair no melodrama ou no dito “dramalhão mexicano”. Eu particularmente gosto de fanfictions pesadas e intrincadas.

Self-inserction: o autor entra dentro da história e interage com os personagens.

Oneshot: fanfics de apenas um capítulo.

Long Shot: em capítulos

ASAP: as sweet as possible – daquele tipo que você lê e fica: oooohhhhhh que fofeeeeeenhoooooooooooo *rsrsrsrsrsrsrs* Pode-se dizer que é um tanto de fluffy

Há várias outras classificações, esta aqui é por faixa etária e usada em vários sites de fanfictions. O Fanfiction net tem uma bem detalhada também.

G (Livre ou K/K+) - Fic liberada para todas as idades. O site Fiction Ratings subdivide esta classificação em duas categorias: K e K+.

K: Conteúdo livre de qualquer linguagem grosseira, violência e temas adultos.

K+: Conteúdo com menor grau de violência, insinuações de linguagem grosseira e ausência de temas adultos, recomendável para crianças maiores de 9 anos.

PG-13 (NC-13 ou T) - Não recomendável para menores de treze anos por conter alguma violência, linguagem levemente grosseira, e sugestão de temas adultos.

PG-17 (NC-17 ou M/MA) - Não recomendável para menos de 17 anos por conter cenas de descrição explicita de violência, uso liberado de forte linguagem grosseira, e temas adultos tratados de modo detalhado e explícito. Cenas fortes. Geralmente é nessa classificação que se coloca yaoi, cenas de sexo, yuri, darkfics, deathfics e drama no sentido de histórias complexas de conteúdo adulto por natureza. Uso de drogas, violência psicológica e física devem necessariamente ser colocadas nesta classificação.

UA (ou AU) - Universo Alternativo.
OOC (Out Of Character): Quando os personagens não agem como deveriam seguindo a série original.
OC (Original Character): Personagem Original.
POV (Point of View): A história é narrada pelo ponto de vista de um personagem, fics em primeira pessoa.
Short Fic: Fic curta.

Classificação Etária (Por Otaku Chan)

G - Fanfics que não há nenhum tipo de tema forte, só diálogo fraco, sem ironia ou qualquer tipo de ação.

PG - Fanfics que tem um tema um pouco mais elaborado -> Escolas com namorados que andam de mãos dadas. G e PG é a mesma coisa a meu ver.

PG-13 - Fanfics que tenham um certo conteúdo mais forte, como beijos, abraços um pouco indiscretos, linguajar mais ironico e ferino, referência (não específica) de homossexualismo. Crítica social leve. Cenas quase sem violência.

R - Fanfic que contenha um forte sugestão sexual, amassos, referência forte de homossexualismo. Violência razoável, seguida com sangue. Ironia forte, linguajar bem ferino. Crítica social mais forte. Dark moderado.

NC-17 -Digamos que o gênero classificatório mais abrangente. Sexo explícito, violÊncia, sangue, crítica social desenfreada, yuri/yaoi com descrições fortes. Incesto, dark profundo. O gênero onde você faz o que quer e nada é proibido.

Mais classificações (nem tentem entender tudo, cada site tem sua mania...)

B - Livre de temas adultos, violência, linguagem grosseira e temas que crianças muito pequenas não possam compreender (Idade indicada: 1+)

K - Livre de temas adultos, violência e linguagem grosseira. (Idade indicada: 5+)

K+ - Para crianças mais maduras. Pouca violência, sem danos sérios. Pode conter linguagem suavemente grosseira, porém sem temas adultos. (Idade indicada: 9+)

T - Alguma violência, pouca linguagem grosseira e insinuações de temas adultos. (Idade indicada: 13+)

M - Forte linguagem grosseira, violência, forte uso de temas adultos, porém não explícitos. (Idade indicada: 16+)

MA - Violência, temas adultos e linguagem grosseira de forma explícita. (Idade indicada: 18+) "


Tem mais coisas mas por hoje eu só meto isto se nao o primeiro post fica maior que um testamento, depois se quiserem (e nao tiverem vontade de me bater XD)que eu ponha mais alguma coisa digam.ok?XD
Fonte:www.cdz.com.br

bem depois digam alguma coisa,nem que seja só para puxar as orelhas XD

_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ReVoLuTiOn__
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 5168
Idade : 21
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : Little Relly
Data de inscrição : 01/02/2011

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qua Maio 04, 2011 12:36 pm

Parece-me muito interessante...

andas a seguir isto? xDDD

Pelo contrário Misaki-shan, eu pelo menos agradeço-te.

_________________



Spare me the bravado
"You'll get rewarded if you work hard", "there's always a chance"...
Only weak people use lines like those to deny their weakness


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Misaki Hasegawa
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1363
Idade : 26
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : DeathBar maid ^___^
Data de inscrição : 23/12/2010

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qua Maio 04, 2011 12:56 pm

ando XD
fico feliz que tenha ajudado ^___________^

_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
seltycorenewl
Portador de fragmentos do Death Note
Portador de fragmentos do Death Note
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 119
Idade : 23
Localização : Entre o monitor e a Cadeira
Emprego/lazer : Shinigami
Humor : Naquela
Warning :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 18/04/2011

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qua Maio 04, 2011 2:00 pm

vai dar jeito
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.animefantasypt.blogspot.com
Misaki Hasegawa
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1363
Idade : 26
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : DeathBar maid ^___^
Data de inscrição : 23/12/2010

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qua Maio 04, 2011 2:13 pm

espero que ajude
se quiserem mais alguma coisa digam XD

_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
seltycorenewl
Portador de fragmentos do Death Note
Portador de fragmentos do Death Note
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 119
Idade : 23
Localização : Entre o monitor e a Cadeira
Emprego/lazer : Shinigami
Humor : Naquela
Warning :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 18/04/2011

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qui Maio 05, 2011 1:15 pm

dinheiro
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.animefantasypt.blogspot.com
ReVoLuTiOn__
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 5168
Idade : 21
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : Little Relly
Data de inscrição : 01/02/2011

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qui Maio 05, 2011 1:21 pm

pois xDDD também ia dizer isso xDDD

Como fazer ganhar o euromilhoes, nao tens por aí? xD

_________________



Spare me the bravado
"You'll get rewarded if you work hard", "there's always a chance"...
Only weak people use lines like those to deny their weakness


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Misaki Hasegawa
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1363
Idade : 26
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : DeathBar maid ^___^
Data de inscrição : 23/12/2010

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Qui Maio 05, 2011 1:56 pm

isso tb queria eu saber XDDD

_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
seltycorenewl
Portador de fragmentos do Death Note
Portador de fragmentos do Death Note
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 119
Idade : 23
Localização : Entre o monitor e a Cadeira
Emprego/lazer : Shinigami
Humor : Naquela
Warning :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 18/04/2011

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Sex Maio 06, 2011 11:15 am

Alquimia resolve tudo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.animefantasypt.blogspot.com
Misaki Hasegawa
Deus do Novo Mundo
Deus do Novo Mundo
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1363
Idade : 26
Warning :
0 / 1000 / 100

PDPA : DeathBar maid ^___^
Data de inscrição : 23/12/2010

Death Note RPG
Nome:

MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   Dom Jun 26, 2011 6:42 am

Hallo Pessoal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Aqui vai mais umas dicas de como escrever uma boa fanfinc tirando de outro forum XD


Uma boa Fanfic = Como fazer


**ANTES DE ESCREVER**

-TEMA-
A primeira coisa que se faz ao se escrever uma fic, é pensar no tema. Esteja certo daquilo que vai escrever antes de colocar no papel, isso evita perdas do direcionamento do enredo. O aconselhável quando se está começando a dar os primeiros passos na escrita é iniciar a história já tendo início, meio e fim previamente preparados. Escolhido o tema, faça uma lista traçando as idéias pricipais, não precisa ser algo bem elaborado, apenas uma relação dos principais acontecimentos em sequência cronológica. Todos esses artifícios vão ajudar mais tarde o autor a não se perder no prórprio enredo.

Exemplo:
>Chegada de Link
>Anúncio do casamento de Zelda
>Chegada de Navi
>Destruição da Vila Kokiri
>Chegada de Ardarsh e etc.
-Personagens-
Conhecendo toda a história básica, agora está na hora de bolar os personagens. É uma parte bem delicada, já que deles vai depender o desenrolar de toda a história. Geralmente eles vão surgindo no planejamento do enredo, mas pelo menos os principais, é bom traçar previamente um quadro psicológico. Trace no papel, nome, idade, traços de personalidade principais, estrutura física e grau de importância na história. Esses dados serão importantíssimos! O básico a fazer, é colocar todas as atitudes dos personagens condizentes com os dados. Baseado no perfil básico de cada personagem, eles deverão ser introduzidos no enredo. As atitudes dos personagens ao desenrolar da fic serão baseadas em seu perfil básico e a partir do desenrolar da história os traços de personalidade ganharão mais profundidade.

É importantíssimo que as ações do personagem ao longo da fic sejam equivalentes à personalidade pre-estabelecida no quadro de personalidade. Também é importante montarum "histórico" do personagem, quais seus medos, anseios, traumas e o que os causou o que deixa o personagem calmo, o que o deixa nervoso ou com medo, o que o faz pensar em outra coisa que aconteceu na vida dele e etc.
Na parte de personalidade, também é interessante abordar a evolução de um personagem. Uma espécie de saga psicológica, onde o leitor vê o personagem se transformar de inocente e imaturo para um adulto marcado pela vida, ou ainda um personagem muito ruim virando uma pessoa mais generosa com os outros. Isso vai da imaginação de cada escritor. Cabe a ele definir o que é melhor para o texto.



***INICIANDO UM TEXTO***



Depois que todas as idéias estão organizadas, é hora de colocar a mão na massa. Mas como iniciar um bom texto? Uma dica básica para que está iniciando um capítulo é: NUNCA COMECE UMA HISTÓRIA COM DIÁLOGO!!!! Esse é um dos maiores pecados que um fanfiqueiro pode cometer. Começar com diálogos só é permitido quando se quer acrescentar um efeito no texto, por exemplo, o narrador falando como personagem ou ainda uma narrativa em primeira pessoa, ou então para criar um aspecto mais coloquial, já que aproxima o narrador do leitor. Criarei uma situação hipotética para exemplificar uma narrativa começando com diálogo:

"Eu tenho mesmo que contar isso?...
Muito bem...meu nome é Tani, tenho 17 anos e já acabei o segundo grau.
Pretendo fazer faculdade mas ainda não decidi do quê. Sou uma brasileira de
Brasília (nossa, isso ficou feio). Sempre fui uma garota normal, ou pelo menos
achava que era...
Um dia aconteceu algo em minha vida que nunca vou conseguir explicar...
Era uma noite de Segunda-feira, como sempre, leio antes de dormir. Peguei
um mangá qualquer dentre a minha coleção. O sono veio. Não demorei a dormir..."
Então, depois disso, começa-se a história propriamente dita. Porém, se a intenção é causar impacto, o melhor é iniciar um texto com uma introdução, uma espécie de prólogo. Darei o exemplo de LttK também (aliás, pra ficar mais fácil o entendimento, estarei sempre citando):


"Era uma vez uma lenda. A lenda que contava a história de três deusas que
criaram o mundo de Hyrule e a Triforce...a lenda que contava sobre a criação de um povo místico e sábio...que contava o surgimento de um grande mal...e o surgimento de um grande herói para combatê-lo. Os tempos remotos de
onde essa lenda se originou, com o passar dos anos, perdeu-se na memória de um
povo de uma data mais avançada...que já não era tão sábio nem tão místico. (...)
O Herói do Tempo viajou muito e conheceu vários mundos, vários povos. O
Tempo passou...e o Herói cresceu..."
Esse é o exemplo do texto que começa com prólogo. Cuidado com os prólogos, um prólogo mal feito pode estragar completamente a primeira impressão do seu texto, por isso, evite copiar seu prólogo de algum lugar, mas se o fizer, não se detenha em deixá-lo muito grande. Lembrem-se que o prólogo é apenas uma introdução e de maneira nenhuma faça do prólogo seu primeiro capítulo, a menos que isso seja essencial para o rumo da narrativa.Caso isso aconteça, o prólogo deve ter a extensão e conteúdo de um capítulo normal, para causar uma boa impressão.Lembrando que são apenas dicas para principiantes, um autor experiente sabe bem como e onde usar esse tipo de artifício.

Quando se deseja ir direto ao assunto,sem prólogos, basta dar uma descrição básica da cena onde se inicia a história, para situar o leitor no tempo e espaço dos acontecimentos. É sempre bom dar uma idéia geral do cenário e dos componentes da cena logo no início. Como por exemplo, (o texto abaixo é de minha autoria e está protegido pelas leis de direitos autorais, e qualquer reprodução total ou parcial terão as conseqüências previstas pela lei):


"A chuva torrencial tornava a difícil a visão na fria noite de Kijara. Os
sinos da grande fortaleza central batiam em alarme enquanto o barulho frenético
de cascos de cavalo ao chão de pedra soavam em direção ao maciço portão de
saída. Como se conhecesse todos os arredores, o homem que cavalgava abriu a
fechadura com um golpe de seu pé e acenou zombeteiramente para o vigia. Os
vários soldados pareciam indecisos entre prendê-lo ou deixá-lo ir.
O homem sobre o cavalo ajeitou o capuz da longa capa de couro preto, de
modo que o forte vento não a arrancasse de seu corpo e as chicotadas cortantes
dos pingos de água não atingissem sua pele. Escutou uma voz grave gritar e olhou
para trás. Era o gordo conselheiro que corria desajeitadamente portão afora e
tentava fazer sua voz se sobressair ao barulho da chuva:
- Volte aqui, delinqüente! Seu pai o punirá por isso!"

Bom, por falta de texto, acabei colocando o meu mesmo. Percebam que há uma breve ambientalização da cena e uma explicação da ação antes de começar o diálogo. O texto que narrará a abertura pode ser bem breve e simples, mas sua presença é de extrema importância, já que se o texto começa com diálogo, dá uma impressão ao leitor de que ele perdeu uma parte da história,uma sensação de que está incompleto.Outro fator importante, é definir em que tempo os verbos serão conjugados. Normalmente escreve-se uma história com os verbos no pretérito, por causa da riqueza de opções que esse tempo verbal proporciona. Alguns usam os verbos no tempo presente, mas isso dá um aspecto muito coloquial e limitado à história.

IMPORTANTE: Uma vez definido o tempo verbal, NÃO O MODIFIQUE. O autor perde todo o crédito de seu texto se começa narrando no passado e de repente usa verbos no presente e depois volta para o passado de novo ou vice-versa. Procure organizar sua narrativa ao máximo.

-ASPECTOS INICIAIS-

A função do primeiro capítulo de uma história é aproximar o leitor dos personagens e cenário e por isso é FUNDAMENTAL que haja uma pequena descrição e/ou demonstração das características dos personagens por meio da cena. Também é importantíssimo situar o leitor no cenário, não precisa dar descrições detalhadas e rebuscadas, se os principais elementos da cena forem mencionados, já basta para a visualização da cena.Lembre-se que seu parágrafo de introdução é o primeiro contato do leitor com oseu texto, por isso, ele deverá vir com explicações, uma apresentação do contextotoda a ambientalização, tudo deve vir nos primeiros parágrafos. Vc deve apresentaro mundo que você criou ao seu leitor. É como apresentar alguém que você goste muitoa uma pessoa que você nunca viu e precisa se sair bem nisso, fazendo com que o estranho goste de você e da "pessoa" que está apresentando.

Feita a introdução,vamos supor a seguinte cena: Hyrule Field, Link está montado em Epona voltando para o castelo e então um Stalfo o ataca por trás.

Exemplo de narrativa inicial incompleto:
"Link voltava para o Castelo de Hyrule em cima de Epona quando de repente um
Stalfo pulou em cima dele.
-Morra Stalfo!!!
Link golpeou o esqueleto com a Master Sword e ele morreu."
Note que não há explicação nenhuma na cena, as coisas simplesmente acontecem sem
mais nem menos e isso prejudica a fluidez do texto, que acontece muito direto e
sem dar tempo de o leitor visualizar a cena e menos ainda sentir o que acontece.

Segundo exemplo, um pouco mais elaborado:
"Link cavalgava sobre Epona por Hyrule Field, pensando em sua volta para o
Castelo Hyrule. Perdido em pensamentos, não viu um Stalfo aproximar-se por trás.
Defendeu instintivamente o ataque do esqueleto e então golpeou-o com a Master
Sword em contra-ataque, matando o inimigo."
Dessa vez houve uma explicação um pouco mais detalhada sobre os acontecimentos. Dá-se ao leitor, mais pistas do que está acontecendo. Mas só isso não basta. Agora vamos tentar colocar o mesmo texto, inserindo mais alguns detalhes e aspectos sentimentais e sensoriais:


"Link cavalgava lentamente sobre Epona por Hyrule Field, o barulho do bater
vagaroso dos cascos do animal sobre a terra era quase hipnótico, deixando Link
em um estado de torpor enquanto pensava em sua volta para o castelo de Hyrule.
Talvez não devesse ter aceitado virar cavaleiro da guarda real e continuado em
sua viagens pelo grande mundo, enfrentando tantas aventuras. Porém, ele sabia
que algo sempre o ligaria ao castelo e às terras de Hyrule, a doce princesa
Zelda jamais sairia de seus pensamentos. Perdido em devaneios, ele não viu que
das profundezas da terra sugia um Stalfo grande, armado com espada e escudo, que
imediatamente preparou-se para atacar o Herói com fúria. Link foi surpreendido
pelo monstro e puxou instintivamente sua espada, golpeando rapidamente o
inimigo, que cortado ao meio, caiu no chão e seu corpo morto desapareceu no
solo."
Esse já seria um texto mais elaborado, dando mais detalhes para o leitor se situar. O autor pode colocar os aspectos que quiser no texto, desde que consiga demonstrar aquilo que ele tem na cabeça para a cena. Uma dica interessante, é o autor se colocar no lugar do personagem principal ou dos personagens que compõem a cena e visualizar todos os acontecimentos na visão em primeira pessoa, e depois, mentalmente, tomar o lugar do observador. Após toda a visão da cena, começar a relatar o que é visto e mesclar às sensações dos personagens. Lembre-se que quanto mais elementos se dá ao leitor, mais detalhada fica a cena e contribui para o melhor entendimento.

-ESTILO-
Autores mais experientes, gostam de imprimir um estilo em sua narrativa. O estilo, caso haja, deve ser estabelecido logo no início, para não comprometer o texto. Uma vez estabelecido, deve-se seguir o mesmo estilo até o final, para dar um acabamento estético. Digamos que eu queira dar à situação hipotética mencionada acima um estilo um pouco mais melancólico. Então usarei toda uma gama de palavras que leve a tal sensação:


"O sol morria no horizonte de Hyrule Field, cobrindo a grama com a meia-luz. Um
suspiro pôde ser ouvido em meio às passadas lentas da égua castanha, que parecia
quase não sair do lugar. O barulho constante dos cascos contra o solo soavam
hipnoticamente para o jovem hylia pensativo, debruçado sobre o dorso do animal.
Apesar de estar montado em Epona, seu pensamento estava muito longe dali. Onde
estava com a cabeça ao aceitar fazer parte da guarda real? Por quê simplesmente
não deu um basta em tudo e continuou em suas constantes viagens pelo mundo? Não
era tão simples quanto parecia... Zelda... era o motivo pelo qual seu coração
não se desligava daquele local. Depois de tanto tempo... como será que ela o
receberia? Entorpecido em seus devaneios, Link nem mesmo ouviu a terra expulsar
de suas profundezas um Stalfo de tamanho grande, equipado com espada e escudo,
pronto para destruir o herói. O corpo de Link parecia anestesiado enquanto ele
estava longe de sua presença corporal, porém isso não foi o suficiente para
garantir o sucesso do ataque repentino do Stalfo ao saltar sobre suas costas. O
instinto de sobrevivência foi mais forte: um golpe certeiro com a Master Sword
partiu o inimigo em dois. O Stalfo estava morto."
Agora para visualizar melhor, o mesmo texto, mas em um estilo mais alegre:


"O trotar do cavalo sobre a trilha de pedra soava semelhante ao sapateado da
bailarina sobre o palco de dança. Para onde quer que Link olhava só via o verde
dos Campos de Hyrule,levemente salpicado pelos pinheiros que se erguiam
espaçadamente ao redor. Estava ansioso para que o caminho se estreitasse e ele
pudesse finalmente ver a mulhalha do castelo no horizonte. Pensava em Zelda a todo
momento, como ela estaria? O que lhe diria? Não havia um só momento em que o lampejo
de pensamento sobre a princesa não lhe desse um sobressalto. Em meio à euforia de estar
de volta ao lar, quase não percebeu a ameaça de um Stalfo que brotou do chão em um
salto, pronto a derrubá-lo do cavalo. O contra-ataque veio quase como um susto, Link
golpeou com precisão, emitindo um som agudo de aço. As duas metades do Stalfo caíram
uma para um lado e outra para o outro. Link sorriu, perigo passara tão rápido quanto
aparecera."
E assim por diante, o autor pode ir incrementando o texto a seu gosto e imprimir muitas sensações através do mesmo, criar situações que levam o leitor a pensar e a sentir o que a história propõe. O cheiro, barulhos e até a mesmo a forma de escrita podem induzir sensações no leitor. O trabalho do autor é descobrir o que é mais adequado para preencher seu texto. Voltarei nesse ponto mais tarde, quanto estiver tratando do vocabulário.

Bom, o que se pode concluir é que para uma boa história, é necessário que o fanfiqueiro tenha em mente os meios de construir a sua própria narrativa de forma clara, compreensível e, se possível, fazer um texto que vá além de meras ações e diálogos. O autor precisa compreender que o texto é muito mais que alguémfalando coisas e agindo ao seu bel-prazer. O trabalho do escritor é parecido como do mágico, ele precisa criar todo um contexto à sua volta para fazer com que sua platéia acredite que o que ele faz é de verdade e é como deve fazer o escritor, criar um contexto tão lógico e tão "real" que o leitor comece a pensar que sãocoisas e pessoas de verdade.Logicamente esse é um trabalho muito árduo e que exigemuito tempo e paciência, mas os resultados são gratificantes.



****DIÁLOGOS****



Os Diálogos não são apenas as falas dos personagens, são ferramentas importantíssimas em uma narrativa. Contudo, não devem de maneira nenhuma seremusados como elemento principal do texto. Melhor usá-lo de forma a acrescentar mais informações à narrativa e, além disso, caracterizar os personagens.
As falas devem ser feitas de forma a combinar com a personalidade pré-estabelecida do personagem. Por exemplo, Ganondorf jamais falaria de amor e amizade com esclarecimento no assunto, porque a personalidade dele geralmentetem deficiência nessa parte afetiva. Todos os elementos afetivos devem ser trabalhados em uma conversa, de modo a apresentar a personalidade do personagem o mais claro possível.

-Recursos formais do diálogo-

Em uma narrativa, uma fala geralmente começa com travessão. Alguns usam aspas, mas seu uso não é indicado para falas e sim para pensamentos, citação ou conjetura.
Usando o travessão para indicar ação simultânea à fala:


"- Hey, calma. Uma pergunta de cada vez.- Link olhou para os lados.- Cadê a
Impa?
- Ela estava aqui até alguns minutos atrás...deve estar pelas
redondezas...
- Ótimo. Espero que ela não volte. Eu odeio quando ela fica olhando para a
gente daquele jeito...
Zelda riu em diversão."
Notem que o travessão entre as falas, indica que Link está falando e ao mesmo tempo olha para os lados. Já o acontecimento de Zelda rir (ultima linha) ocorre após a fala, vindo então em um outro parágrafo. Esse recurso promove uma organização visual do texto na cabeça do leitor. Geralmente ações sem muita relevância são colocadas junto aos diálogos,como ações simultâneas, enquanto ações importantes, que merecem maior atenção do autor, deverão vir em um parágrafo separado como a narrativa propriamente dita.

As ações simultâneas à fala servem para indicar uma marcação particular ao personagem, como um torcer de mãos, um tique nervoso, algo para detalhar melhor os hábitos e reações do personagem em questão. Seve basicamente para enriquecer o conjunto de ações da cena.
As aspas têm função especial na narrativa. Seu uso é indicado para pensamentos, lembranças/flashback e/ou citação dentro da própria narrativa ou no meio da fala.


"Um sorriso...não qualquer sorriso...o mais belo sorriso da princesa de
Hyrule...
Teve a visão do Lago Hylia ao pôr-do-sol. Zelda olhava admirada para a imensidão de terra coberta pela água.
[quote]"Hyrule é tão bela...eu nunca pensei que pudesse vê-la assim tão de perto.
Sem precisar de milhares de guardas me vigiando, sem ser cercada por uma multidão curiosa
querendo saber como é afinal a princesa Zelda. Eu adoro essa sensação de liberdade!"


“A voz dela ecoou em sua cabeça em uma lembrança doce. Zelda dera seu mais belo sorriso ao contemplar sua terra natal!"


Nesse caso, as aspas são utilizadas para indicar a lembrança de Link em relação à fala de Zelda.

****COMPOSIÇÃO DE CENA****

Quando o autor compõe uma cena, deve ter em mente cada acontecimento dela, cada detalhe, cada sentimento de cada personagem. Para isso é necessário um momento de concentração, a cena deve ser totalmente visualizada na imaginação do escritor antes de ir propriamente para o papel. Depois que a cena estiver completa, esta deve ser descrita da melhor forma possível.
Alguns autores gostam de colocar a cena em cada detalhe, cada cor, cada momento. Porém, esse recurso pode consumir um maior espaço e tornar a leitura maçante. O aconselhável é saber dosar as descrições de cenário e os acontecimentos de forma a dar informações o suficientes para que o leitor imagine a cena, porém, não tornando a leitura chata e cansativa.

Eu particularmente costumo fazer uma descrição de ação dando ao leitor apenas as ferramentas essenciais para a visualização do geral, dando ao mesmo o direito de imaginar os elementos de cena ao seu bel-prazer, fazendo assim com que a narrativa se torne mais dinâmica de forma a não se prender demais a detalhes que prejudiquem o andamento de cena. Os detalhes são entregues apenas quando é necessário que se tenha uma visão específica de algo que quero pasar. Mas isso é só um exemplo particular. Cada autor define o melhor modo de apresentar a cena, contudo, deve-se principalmente pensar na visualização do leitor. Por isso, é aconselhavel que sempre depois de se escrever um texto, relê-lo do ponto de vista do leitor, como se o texto não pertencesse ao autor e em seguida corrigir as possíveis falhas.

-cenas de romance-

O autor precisa ter em mente e dentro de si os elementos sentimentais para compor esse tipo de cena. Exageros DEVEM ser evitados e é necessário manter-se longe dos clichês (a grosso modo, elementos conhecidos por todos e sempre usados em qualquer tipo de história) na medida do possível, para que a cena fique interessante. Dependendo da história, deve-se carregar ou não esse tipo de cena. Em histórias de aventura e ação, é aconselhável dosar esse tipo de cena de forma a não atrapalhar a dinâmica da história, colocando menos diálogos e mais narrativa de cena.Em histórias românticas, deve-se fazer de forma sensata, sem exageros, evitando muitos diálogos e carregando a narrativa de expressões sensoriais.Um erro muito cometido é achar que o sentimento está sendo bem expresso enchendo de diálogos como " Eu te amo", "oh meu amor, eu te amo tanto". Pelo contrário, deve-se evitar ao máximo esse tipo de expressão, deixando que o próprio leitor perceba que os personagens se amam sem precisar desse tipo de expressão. Mesmo por que não adianta colocar no diálogo um "eu te amo" se os personagens não agem como se realmente se amassem. Logo, fica sem lógica e pouco convincente.

-cenas de batalha-

É necessário um grande trabalho de visualização por parte do autor nesse tipo de cena. Antes de começar a narrativa propriamente dita, deve-se ter uma idéia visual de cada golpe distribuído pelos personagens. É necessário um extremo cuidado ao escrever esse tipo de cena. Exageros podem causar estranhas reações nos leitores. Deve-se ter o cuidado de separar o público-alvo antes de começar a bombardear o leitor com palavras, já que nem todos gostam de uma narrativa com batalhas muito longas entre duas pessoas. É sempre bom variar o ângulo de "visualização" na hora de narrar, mostrar outros elementos como a reação das pessoas em volta, como o cenário se comporta em contrapartida.

-cenas do cotidiano-

Precisam ser mostradas de forma mais objetiva possível. Inclusive é bom colocar falas simultâneas a ação, para indicar naturalidade.



***MATERIAL BÁSICO****



Como assim material??? Bom, vou explicar. Ninguém nasceu sabendo o significado das palavras e muito menos com um vocabulário invejável. Isso não se adquire em um "insigt", em um momento de iluminação onde o autor atinge o Nirvana. O que fazer? Adquirir esse vocabulário. Como? Eis a lista dos amigos do peito que não podem faltar na estante de um escritor ou aspirante a escritor.

-DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA-

Sim, nosso bom e velho "pai dos burros". Esse é necessário para ver o significado de palavras complicadas e desconhecidas que porventura apareçam na vida. É importante saber a simbologia do dicionário, ela é muito útil para descobrir as mais vastas utilizações. O dicionário Aurélio ainda é o mais utilizado, contando também com versões eletrônicas.

-DICIONÁRIO DE SINÔNIMOS-

Esse não pode faltar na estante de um aspirante a escritor!!! IMPORTANTÍSSIMO!!!
É daqui que vai sair a principal variedade de palavras para uma mesma expressão. Muitos desconhecem o valor desse tipo de dicionário e alguns sequer sabem que ele existe. No Word há uma versão precária desse dicionário. Aparece ao selecionar a palavra e apertar shift+F7 nas versões anteriores à 2000 e nas versõesmais atuais basta clicar com o botão direito em cima da palavra e apontar para "sinônimos" (atenção, pois também aparecem antônimos na lista). Esse dicionário éessencial para evitar repetições desnecessárias de palavras.

-DICIONÁRIO DE IDÉIAS AFINS-

Outro dicionário importantíssimo, porém de muito uso para um estágio de escrita mais avançado. É um dicionário que apresenta várias palavras sobre um mesmo tema. É importante também para evitar repetições da mesma palavra em uma sentença. Diferente do dicionário de sinônimos, apresenta palavras condizentes com a idéia a se buscar.


Amor = Carinho, simpatia, admiração, intimidade, paixão, calor, enlevo, afeição,
apego, galanteio, noivo, ninho, cupido, etc.
As várias idéias sobre a palavra são apresentadas de modo que o escritor escolha aquilo que mais se encaixa em sua obra. Munido desse material, o escritor fica invencível. É como a espada para o espadachim. Então, quem nunca ouviu falar nessas "armas" procure saber caso queira fazer realmente um texto impressionante.



***ERROS COMUNS NA NARRATIVA***



É comum ver histórias de se fazer chorar...mas não porque há sentimento na
história e sim porque o texto é MUITO ruim. Alguns doS erros mais cometidos são:

-Diálogos seguidos uns dos outros-

Como eu já havia DITO apenas o diálogo não faz um texto. As ações precisam estar descritas de forma no mínimo compreensível, de forma a fazer o leitor não apenas saber o que os personagens estão falando, mas retratar a cena geral de forma mais natural possível. Quanto mais elementos de cena entrelaçados ao diálogo, mais fácil a visualização. Não adianta escrever um diálogo do tipo:


"- Onde vc vai Link?
- Eu vou até a loja.
- Fazer o quê?
- Comprar poção mágica, tchau.- ele saiu"
Aqui eu só sei o que os "personagens" estão falando. Não há contato com a cena, nem com os elementos da mesma. Isso causa um efeito de afastamento do leitor e história, fazendo com que, mesmo que a trama seja incrível, a narrativa não seja atraente.

Agora a mesma cena, só que narrada de forma mais completa:


"Link abriu a porta apressadamente, com respiração ofegante, na intenção de sair e
falou quase sem respirar:
- Eu vou até a loja.- junto ao cansaço, sua voz parecia tensa.
- Fazer o quê?- o amigo estava preocupado com o destino de Link.
- Comprar poção mágica.- sem olhar para trás, Link ergueu a mão direita em um aceno
de despedida.- Tchau.- e desapareceu através da porta."
Notem como um simples trecho banal pode ganhar muito mais elementos quando narrado da
forma correta.

-Linguagem pobre-

É comum ver textos escritos de forma totalmente descuidada. Isso torna a leitura sem atrativos e enfadonhos... Quando não, impossível. Como existem muitas regras e muitas exceções, vou apenas enfatizar a escrita de fics sobre Zelda. Zelda está classificado no gênero de fantasia medieval. Seguindo essa lógica, eis algumas coisas a se evitar nesse tipo de narrativa:

-> Gírias - isso além de tornar o seu texto pobre, não combina nem um pouco com fantasia medieval. Não sei se alguém consegue imaginar o Link falando: "Essa espada rlz!" ou então "Ganon é muito sux!". Evitem o máximo possível esse tipo de linguajar nas fics, A MENOS QUE um personagem inventado peça esse tipo de linguagem.

-> Emoticons - Pretende que seu texto seja levado à serio? Então evite. Nada de emoticons no meio da narrativa, se quer expressar o sentimento do seu personagem, use as palavras. Uma sucessão de sentimentos bem narrada vale muito mais que qualquer emoticon.

-> Regionalismos - O Brasil é um país muito grande. É comum cometer o erro de achar que Todos falamos exatamente a mesma língua e isso não é verdade. Existem palavras apenas usadas na Regial Nordeste, outras só na região Sul, outras apenas na Região Centro-Oeste e assim por diante. É importante o autor buscar uma linguagem "padrão", que seja compreendida por qualquer habitante do Brasil. Fica complicado ler algo do tipo: " - Link fica é mangando de mim, eu sei que ele só tá montando panca." Alguém entendeu? Bom, quem mora no Nordeste ou tem parentes nodestinos entenderia com facilidade que a frase significa: "- Link fica caçoando de mim, eu sei que ele está só se exibindo." Por isso, é bom evitar ao máximo esse tipo de erro.

-> Mau uso da língua - Não se pode montar um diálogo em uma fic medieval como se estivesse falando com um colega de escola, com a mãe ou com o irmão nos dias de hoje. É importante prestar atenção nas palavras e escolher um tom mais próximo do formal. Mesmo porque a linguagem escrita em geral pede uma conduta diferente da fala coloquial. Então, quanto mais aproximado da linguagem formal, mais séria a narrativa. Isso pode ser dispensável nos diálogos, mas na narrativa é quase que obrigatório manter uma conduta mais formal. A menos que o autor queira passar alguma coisa em sua narrativa, mas aí entra na questão de estilo.

- Erros de sequencialização lógica-

É extremamente comum ver quebra da linha de raciocínio provocada pelo próprio autor. Ao narrar, é importante manter elementos de cena semelhantes juntos, para não causar confusão. Deve-se organizar uma lógica na hora de narrar, estabelecer uma linha e seguir essa linha na hora da narrativa. O reforço de informações também é muito importante. Informações preciosas não podem ser mencionadas apenas uma vez na história e deixadas de lado, sendo retomadas apenas quando o leitor já a esqueceu. Isso causa uma quebra que levará o leitor a ter que procurar onde foi que o escritor mencionou o tal fato e causa desconforto na história. O trabalho do escritor é facilitar ao máximo a compreensão do leitor.
Outra coisa é cair em contradição. Por exemplo: dizer que se passaram 9 anos e mais na frente algum personagem falar que 7 anos se passaram, ou então, dizer que o personagem tal machucou o braço e na cena seguinte ele está empunhando uma espada habilmente. Ou ainda dizer que o personagem saiu de casa e em seguida mostrar um diálogo dentro da casa do personagem. Lembro-me de ter lido uma vez uma fic onde o autor fez um pântano Incendiar...não me pergunte como um pântano úmido pode incendiar mas aconteceu na fic. É sempre bom estar atento às informações da propria fic para não cometer esse tipo de erro.

-Frases de dupla/tripla interpretação -

EVITEM! Muito cuidado ao escrever frases que possam ser interpretadas com sentidos que não condigam com o que se quer exprimir. Uma frase clássica de exemplo é: "Corria como um Goron de água". Essa frase pode ter várias interpretações como: "O Goron de água corria" (não me pergunte como é um Goron de água, deve ser um mizubunshin), "Coria como um Goron corre de água" (que é a interpretação que eu imagino ser a correta).



*** CONSIDERAÇÕES GERAIS ***



O ESCRITOR NÃO PODE ESQUECER DE MANEIRA NENHUMA que a história é um conjunto de narrativa, trama/enredo asociada à condução do autor através dos diálogos e personagens. O escritor não pode esquecer que é ele quem dá as ferramentas para o leitor imaginar a cena e formar para si a imagem da história. Isso inclui diálogos, sentimentos dos personagens, narrativa, tudo deve estar interligado e deve ser associado entre si. UM AUTOR NÃO PODE SIMPLESMENTE CONTAR UM FATO POR CONTAR, sem dar a chance de o leitor se aproximar da história. Isso faz da história uma história medíocre. Então, fanfiqueiros, não se prendam apenas aos fatos nem a um só elemento de cena. A lógica deve estar presente o tempo inteiro e deve-se manter certa linha de raciocínio na história. Lembre-se que a arte de narrar é um todo, um conjunto de fatos e experiências sensoriais.

Muitos reclamaram sobre a parte de composição de cena. A verdade é que não existe uma formula mágica para compor as cenas mais trabalhosas de uma história. O escritor deve usar o bom senso para decidir o que é bom e o que é lixo no seu trabalho de escrita. O que eu posso fazer é citar algumas coisas baseadas na minha experiência.

-Cenas de luta-
As tão famosas cenas de luta. São cenas que exigem atenção em dobro pela parte do escritor e nem todos sabem/gostam de fazer esse tipo de cena. As dicas básicas para um caminho mais fácil ao compor esse tipo de ação:

1 - As ações devem ser descritas com detalhamento acima do normal. Em uma cena qualquer, é comum fazer uma narração simples. O ritmo de uma cena de luta é muito mais intenso do que o ritmo ao narrar uma mulher lavando roupas, por exemplo. Cada ação exige uma reação e isso deve ser explorado ao máximo de forma a conduzir a narrativa dentro da linha proposta pelo autor.
2 - A importância dos sentimentos dos personagens. Nem todos gostam de ler cenas intermináveis de batalha. Uma alternativa é inserir momentos de reflexão baseados no caráter dos personagens, já que o momento de uma luta é uma hora de muita concentração, geralmente um confronto não apenas entre os dois inimigos, mas um conflito interno do personagem.
3 - A lógica de ação deve estar sempre sendo checada nesse tipo de cena. Não adianta eu dizer que o personagem é destro e de repente colocá-lo para atacar com a mão esquerda... Não dá pra dizer que o cenário pegou fogo se eles estavam lutando em um cenário alagado e coisas do tipo. Isso é só um exemplo que deve ser levado a outros patamares na hora da luta. É muito mais freqüente cometer erros seqüenciais nesse tipo composição, já que suprimir algum detalhe aparentemente sem importância pode causar perda de elementos na cena.
4 - Evitar diálogos extensos. Isso cai também na parte da lógica. Quando se luta, um esforço físico muito grande é necessário por parte dos personagens. Falar durante uma luta é um esforço maior ainda, fora que quando se fala, prejudica a concentração. Logo, os lutadores devem falar o estritamente necessário, a menos que seja uma luta para perder energia ou então os personagens sejam sobre-humanos.
5 - Apelar para elementos sensoriais também é uma boa jogada. Sons, cheiros, sensações, podem ser explorados nesse tipo de construção, já que a ênfase é nas habilidades dos personagens sejam físicas ou estratégicas.

-Cenas de amor-

Muita gente tem dificuldade para escrever esse tipo de cena. Particularmente eu acho mais chato fazer uma cena de amor do que uma cena de batalha. É muito mais exaustivo, já que não mexe mais com a parte da ação e sim com a parte do sentimento. Caminhos fáceis para esse tipo de cena:

1 - Ter uma noção básica do nível de sentimento entre os dois personagens em questão. Amor, paixão, excitação, todos esses níveis exigem um tipo de composição de diálogos/ações, diferentes.
2 - É necessário que o autor sinta-se à vontade com esse tipo de assunto, caso ao contrário, fica totalmente inviável fazer uma cena convincente e sem cair no água-com-açúcar clichê, que enche o saco.
3 - Esse tipo de cena exige um cuidado especial com a ambientação, afinal, quem é que já viu rolar clima em qualquer lugar? Principalmente em locais movimentados e/ou cheios de pessoas.
4 - Apelar para palavras sensoriais é sem dúvida uma boa saída para descrição de sentimentos e do que ocorre com os personagens. É importante aqui o dicionário de idéias afins para ter-se uma imensa gama de palavras sentimentais.
5 - Explorar a poeticidade sem tornar o texto brega é muito complicado. Evite usar termos muito explorados na mídia, e principalmente, evite cenas já vistas na mídia em geral. O melhor é tentar não rebuscar demais.
6 - Eu sei que alguns aqui não tem experiência nenhuma com o sexo oposto, então seria tolice dizer para se basearem nas experiências pessoais. Bom, mas não custa nada imaginar um pouquinho, né! O lance é colocar a imaginação para funcionar e se colocar no lugar do personagem. Vista-se com a personalidade dele e imagine como você agiria caso acontecesse com você o que a cena pede. E pra quem tem experiência, é só escolher o que mais convém.
7 - Cuidado com cenas de beijo também é importante. Apenas dizer: "e Joãozinho beijou Marianinha.", sem nenhum outro extra, não tem graça nenhuma de se ler. É sempre bom explorar a parte das sensações.
8 - É muito difícil separar amor do sexo, e muitos gostam de explorar isso. Só que deve-se ter cuidado ao abordar esse tipo de assunto, principalmente pela quantidade absurda de menores no fórum. Caso alguém se arrisque, evitar palavras chulas é essencial. No mais, manter-se no nível do sutil é também uma boa saída.

Agora, após esta brilhante explicação, vemos também algumas dicas de outros usuários do AURORES.COM
1 -- NUNCA, NUNCA MESMO, saia do mundo que serve de base para a sua fanfic.
Não importa o gênero de sua fanfic: pode ser NC-17, aventura, trash, humor pastelão, romance, o que seja, mas deve-se sempre permanecer no universo da fanfic. Caso contrário, serão só nomes no papel.
2 -- Pelo amor de Deus, preocupe-se com a história central. Err... Pelo menos FAÇA uma história central.
Shippers são divertidos e tudo, mas, sei lá, fics SÓ de shippers são em geral deprimentes. Algumas bastante forçadas. Não se deve fazer uma fic de shipper só porque "O Casal É Bonitinho E Fofinho Mesmo Que Não Tenha A Mínima Chance de Acontecer Nos Livros E/Ou Eu Estou Com Vontade De Extravazar Minhas Opiniões De Uma Maneira Bastante Rudimentar". Deve se fazer um shipper com sentido, mostrando RAZÕES para isso, e, com MUITA preferência, uma boa história de background. (shipper é o relacionamento entre dois personagens)
3 -- NUNCA distorça os personagens
Caracas, na sua fic você tem de se manter fiel ao que o autor original escreveu. Não vá colocar a Hermione como atirada, porque isso não é da personalidade [original, em que você estará se baseando ao escrever a sua fic] da Hermione. Não invente novas personalidades para os personagens. Você pode tentar até criar os seus, apenas pensando que não fique forçado.
4 -- Não tenha pressa
Um erro de uma ou outra fic que tem por aí é querer jogar e revelar absolutamente TODA a história no primeiro ou no segundo capítulo. Vá devagar, fazendo com que as coisas fluam e que o leitor relaxe e fique com aquele gostinho de quero mais. Claro que tem uma ou outra fic que o ato de se jogar uma quantidade razoável de informação funciona, mas...
5 -- Respeite a inteligência dos leitores, sim?
6 -- Não enrole
Apesar de não poder colocar todos os fatos incluíndo o fim da sua fan fic no começo, você também não pode se demorar demais, assim o leitor já começa a ficar entediado com a sua fan fic e vai perder todo o interesse.
7 -- Tente ver se consegue alguns feedbacks dos seus leitores, quando possível.
O fato é que comentários do tipo "Oh, que fic massa", ou "Puxaaaa, tah mto legau!" são realmente agradáveis de ler, e todo escritor gosta disso. Mas o fato é que também é uma boa idéia se pedir opiniões mais extensas, do tipo "O que mais gostou?", "O que mudariam?", "O que ficou mais chato e dispensável?", e etc. Não é obrigatório e não precisa pedir isso ao fim de cada parágrafo, mas é bom, na medida do desenvolvimento de sua fan fic, fazer isso.
8 -- Invente novas coisas para o mundo em que se baseia.
Que tenham algo a ver com o mundo do personagem, claro. Mas tente inventar novos personagens que não sejam chatos ou forçados, novos instrumentos ou poderes, que se encaixem bem na fic.
9 -- Você NÃO precisa se centrar no personagem principal.
O fato da fic estar no mundo daquele personagem não significa que ela precisa ser SOBRE ele Pegando de exemplo uma fic de Harry Potte, você pode narrar uma história sobre um auror do Ministério, sobre um fazendeiro bruxo, as aventuras de um Comensal da Morte... Desde que esteja centrado no mundo de HP, tá beleza. E pode ser de qualquer gênero, contanto que ainda ESTEJA no mundo de HP.



sorry pelo testamento XD
agora podem me puxar as orelhas ou aproveitar as dicas que eu tb preciso de aproveita-las XD
Fonte:http://forums.otserv.com.br/showthread.php?9368-Dicas-Sobre-Fanfic-Por-Liqnkr-E-Cia.


_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Dicas de como tornar o teu texto mais atractivo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Dicas de como manusear cloth myth Ex
» FLOR MORENA - CAPÍTULO 05
» importar tem riscos?
» Antenas e fios
» Primer - Como utilizar

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Death Note Portugal :: Inferno :: Fanfics e fanArts :: Fan Fic's-
Ir para: